top of page
  • Foto do escritorAisha Raquel Ali

Mitos e Verdades no cuidado diário da pele oleosa


Pele oleosa exige cuidados específicos que, muitas vezes, são feitos da forma incorreta, o que gera um efeito rebote, com o aumento da oleosidade


Um estudo publicado pela revista VEJA de janeiro de 2022 mostra que os cosméticos para controle da oleosidade e antiacne estão entre os mais procurados pelos brasileiros nos últimos dois anos, problema que afeta 90% dos adolescentes e mulheres jovens e 56,4% da população adulta no país. E quem nunca recebeu uma “indicação certeira” de um produtinho para a pele, que atire a primeira pedra! Mas nada garante que um produto que funcionou para uma pessoa vai funcionar para outra. Até porque cada pessoa tem um tipo diferente de pele – e isso não é apenas em relação à cor, mas também aos hábitos diários, tipos de produtos que são usados ou não e até em relação à comida!


Muitas vezes, ao seguir uma indicação, em vez de conseguir bons resultados, o tiro sai pela culatra, como diz o ditado brasileiro. E quem sofre muito com esse tipo de acontecimento é a pele oleosa. Ela, por natureza, já é vista com receio, já que quem tem esse tipo de pele tem dois “medos” diariamente: as temíveis espinhas e o brilho indiscreto facial – nada que um filtro nas redes sociais não possa resolver. Mas e frente a frente, sem filtro? A resposta para essas e outras questões NÃO É, de forma alguma, abusar de maquiagem excessiva. O cuidado adequado com esse tipo de pele, com produtos adequados no skincare diário, é muito mais eficaz!


A pele oleosa é injustiçada, sendo vista apenas como difícil de lidar. Mas o que muitos não sabem, ou esquecem, é que a oleosidade extra é como um sistema de defesa do próprio corpo. “As glândulas sebáceas são as responsáveis pela produção da oleosidade da pele, uma ação natural e que serve como uma barreira protetora do corpo. Quando há uma grande produção dessas glândulas, a pele fica mais oleosa em alguns pontos, principalmente na chamada zona T do rosto (testa, nariz e queixo) e do corpo, causando diversos problemas, como cravos, espinhas, poros dilatados e manchas”, afirma o esteticista e enfermeiro Dr. Suélio Ribeiro.


São muitos os mitos que cercam a pele oleosa – e poucas as verdades que realmente são faladas. Por isso, hoje vamos desvendar 10 dos maiores mistérios que cercam o assunto, com a ajuda do esteticista e enfermeiro Dr. Suélio Ribeiro. Acompanhe:

 

1) Produtos à base de óleo devem ser evitados no skincare de pele oleosa.

MITO: “Pode parecer óbvio não colocar ainda mais óleo em uma pele oleosa, mas o ingrediente em si não é um vilão, desde que usado na quantidade adequada, faça parte de um produto composto criado especificamente para sua pele, dentro de um protocolo indicado pelo dermatologista”, explica Ribeiro.


2) A genética pode influenciar na oleosidade da pele.

VERDADE: “Com certeza! Aliás, os hormônios também, tanto para homens quanto para mulheres. É muito falado da oleosidade (e nos desconfortos que ela traz) facial, mas muitos pacientes sofrem com o excesso de acne, consequência dela, nas costas e também em outras regiões do corpo”.


3) Lavar o rosto várias vezes ao dia ajuda a controlar a oleosidade.

MITO: “Jamais! Pelo contrário, caso a pele não seja higienizada corretamente, ou haja um excesso de limpeza, pode acontecer o temido efeito rebote: em vez de eliminar a oleosidade, aumentar, já que a pele vai produzir ainda mais oleosidade para servir como uma proteção natural”, conta o esteticista.


4) Limpar o rosto com produtos suaves é importante para a pele oleosa.

VERDADE: “Sim. Por isso é importante não escolher o primeiro produto que uma influencer indicou ou aquele que tem a embalagem mais bonita na gôndola. O aroma também pode ser gostoso, mas não significa que é adequado. Para acertar mesmo em um produto suave e eficaz, só com a ajuda de um profissional que vai conhecer sua pele e indicar a melhor rotina de limpeza e cuidados”.


5) Esfoliação frequente controla a oleosidade.

MITO: O profissional é categórico: “Nem pensar. Os produtos esfoliantes contém microesferas que, ao serem passadas no rosto, funcionam, de forma microscópica, como uma espécie de ‘lixa’. Quando feita corretamente, a esfoliação serve para limpar a pele e abrir os poros. Mas, quando feita em excesso, também pode causar aquele efeito rebote que ninguém quer, porque a pele entende que está sofrendo algum tipo de dano e, mais uma vez, tenta bloquear esse ‘ataque externo’ com sua barreira natural, o óleo”.


6) O uso de ácido salicílico pode ajudar a controlar a oleosidade.

VERDADE: “Sim! Grandes empresas apostam em estudos para descobrir a melhor forma de apresentar esses ativos de forma confiável nos frasquinhos, na quantidade ideal para ajudar na rotina de skincare para equilibrar a oleosidade da pele e deve seguir as seguintes etapas: limpeza, hidratação e proteção. Eu sempre indico a linha Controle da Oleosidade da Raavi Dermocosméticos, que com apenas três produtos, traz o cuidado essencial necessário exclusivamente para a pele oleosa. A linha vêm com Sabonete Líquido Facial, Tônico Adstringente Facial e Sérum Facial. entre os ativos da linha Controle da Oleosidade estão o Ácido Glicólico (que tem a capacidade de promover um efeito renovador à pele), o Ácido Salicílico (que atua como regularizador da oleosidade e também é um anti-inflamatório potencial) e o Mentol, que proporciona uma sensação de refrescância e bem-estar. A ideia de usar vários produtos de uma mesma linha também facilita a ‘compreensão’ dos ativos pela pele, além de contribuir com a renovação celular, hidratação e reequilíbrio do pH da pele”, conta o profissional.

 

7) Hidratantes devem ser evitados em pele oleosa.

MITO: “Todas as peles, independente do tipo, precisa ser hidratada. Ao tomar bastante água, já hidratamos a pele, mas apenas isso não é o suficiente. Porém, é mais indicado um produto que não seja ‘apenas’ hidratante. Ele deve hidratar e cuidar da pele, de dentro para fora, torná-la saudável e com um brilho natural não excessivo. Um produto indicado é o sérum, que têm entre suas características uma fórmula com toque leve e de rápida absorção, que facilita a permeação dos ativos.


8) Uma dieta saudável pode ajudar a controlar a oleosidade da pele.

VERDADE: “Sim! Por mais que as pessoas não gostem de ouvir que precisam abrir mão de certos alimentos em prol de um corpo e uma saúde melhor no geral, é verdade. Isso não significa nunca mais comer aquele junk food com os amigos, mas apenas fazer escolhas melhores. Você pode, por exemplo, definir um cardápio saudável, ricos em frutas, legumes e com carboidratos na medida certa, e se permitir vez ou outra aquela pizza ou hambúrguer. O erro das pessoas é acreditar que nunca mais, na vida, vão poder comer um alimento que gostam muito. Claro que podem, mas é preciso ter parcimônia e lembrar que você é o que você come. Se consumir bons alimentos, o resultado será visível, tanto na balança, quanto no corpo em geral, na melhora da textura da pele e até dos cabelos, por exemplo”, exemplifica o profissional.


9) Protetor solar obstrui os poros e causa mais oleosidade.

MITO: “Nada impede o uso do protetor solar. Ele é aquele produto que todos devem usar, principalmente nesses períodos turbulentos, com clima bagunçado, que temos vivido nos últimos tempos. Erroneamente, muitas pessoas pensam que o protetor solar deve ser aplicado apenas quando se está na praia ou na piscina. Mas ele deve fazer parte da rotina diária, independente da previsão do tempo. Obviamente, ele protege contra os raios solares que fazem mal à pele, mas o Sol também lança seus raios quando o dia está nublado e abafado. Esse produto serve como uma barreira extra para bloquear a poluição e atua para postergar o envelhecimento da pele”.


10) Consultar um dermatologista é importante para conseguir cuidar da pele oleosa corretamente.

VERDADE: “Essa dica nunca falha! Um profissional que entende de saúde e estética consegue enxergar muito além da aparência superficial da pele. Para cuidar corretamente do maior órgão do corpo humano, é preciso conhecê-lo de verdade, conhecer os hábitos do paciente, avaliar o que melhor se encaixa na rotina da pessoa e até no que convêm ou não, de acordo com o que o paciente está vivendo no momento – como grávidas, lactantes e pessoas que estão em algum tipo de tratamento mais invasivo, por exemplo. Entre seguir uma dica online ou escolher um produto bonitinho, escolha sempre – sempre! – procurar alguém que sabe do que está falando, um profissional. Isso vai evitar gastos desnecessários, tanto de forma monetária, com produtos que não farão nenhum bem à sua pele, quanto aquele desgaste emocional, ao ver a pele maltratada ou até lesionada. Procure sempre um profissional!

 

O profissional, embaixador da Raavi Dermocosméticos, empresa que ostenta produtos com o selo de ‘Beleza Responsável’, tendência mundial que identifica produtos com alta concentração de ingredientes naturais, livres de corantes, petrolatos, parabenos e de ingredientes de origem animal para cuidados estéticos, finaliza: “Temos que cuidar do corpo como um todo, mas o rosto é nosso cartão de visitas. Por isso, não confie em receitas milagrosas. Coloque no seu corpo apenas produtos de qualidade, de procedência e com indicação profissional. O resultado é uma pele naturalmente bela, sem a necessidade de nenhum tipo de filtro para te deixar bonita na foto!”.


6 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page