top of page
  • Foto do escritorAisha Raquel Ali

Pesquisa, 70% dos migrantes não estão inseridos no mercado de trabalho


De acordo com os dados, 82% das mulheres que não estão trabalhando são mães; 32% não tem sistema de apoio para cuidados dos filhos


Mais da metade dos migrantes que vivem no Brasil não conseguem recolocação profissional
 
A falta de acesso e inclusão dos migrantes ainda é uma realidade no Brasil. Um estudo realizado pela ONG Visão Mundial, organização que atua desde 1950 em mais de 90 países, mostrou que 67,4% dos migrantes que vivem no país não estão inseridos no mercado de trabalho. Dos que conseguiram arranjar um emprego, mais da metade (58%) são do gênero masculino. Além disso, 62% dos que estão trabalhando, estão em modelo de contratação informal, já 15% apostaram no empreendedorismo.
 
O cenário também é outro ao chegarem no país. O levantamento informa que 85,3% disseram que não estavam trabalhando em sua área de conhecimento e experiência, ainda que, os motivos da falta de trabalho também dizem respeito à burocracia na migração. 27% afirmam que não estão trabalhando por estarem em processo de interiorização, 22% não conseguiram encontrar vagas em sua área e 17% não receberam oferta de emprego.
 
Para a minoria do grupo, a luta ainda é maior. De acordo com a pesquisa, 82% das mulheres que não estão trabalhando são mães, e 32% afirma que não têm sistema de apoio para o cuidado dos filhos. Já para os migrantes com deficiência, 70% dos PCDs não estão em situação de empregabilidade, e a região mais afetada por essa falta de mão de obra é em Boa Vista, onde 55,5% alegaram não estar trabalhando.
 
“No Brasil a política de migração ainda é um processo longo e árduo, por isso, precisamos cada vez mais de projetos que integrem essas pessoas no dia a dia, e principalmente a longo prazo. A análise é um recorte do que vivemos nesses anos e esperamos trazer ainda mais mudança para todos”, afirma Angela Karinne Mota, gerente de projetos da Visão Mundial. 
 
Desde 2019 a ONG Visão Mundial, tem atuado na migração de pessoas venezuelanas, por meio do Projeto Ven, Tú Puedes!, onde já beneficiou mais de 28 mil pessoas. Os dados coletados foram  realizada com 264 migrantes, no final do ano passado, das quais 95% eram venezuelanas, e 5% de outras nacionalidades, incluindo cubanos, haitianos, angolanos, afegãos e bolivianos, com foco nas cidades de Boa Vista/RR, Manaus/AM e São Paulo/SP - locais onde o projeto atua. 
 
O estudo completo está disponível no site da ONG.
10 visualizações0 comentário

Commentaires


bottom of page