top of page
  • Foto do escritorAisha Raquel Ali

Orquestra Petrobras Sinfônica apresenta série de Concertos de Câmara gratuitos no CCBB Rio


O Centro Cultural Banco do Brasil Rio de Janeiro será palco da série Prata da Casa, da Orquestra Petrobras Sinfônica, nos dias 26, 27 e 28 de outubro, sempre às 19h. Os Concertos de Câmara foram divididos em três noites de música, com repertórios diversificados, propostos e interpretados pelos próprios instrumentistas da orquestra em diferentes formações, além de convidados. A entrada é franca.


Abrindo a programação na quinta-feira (26/10), o Magisterra String Quartet faz seu concerto de estreia. Formado pela violinista alemã Annette-Barbara Vogel, diretora artística do conjunto de câmara Magisterra Soloists, de Ontário, e três músicos da Orquestra Petrobras Sinfônica – Fernando Pereira (violino), Dhyan Toffolo (viola) e Hugo Pilger (violoncelo) —, o quarteto vai interpretar obras de Dmitri Shostakovitch, Maurice Ravel e Helmut Lipsky.


“Quase 60 anos separam o Quarteto de Ravel e o Quarteto nº 8, de Schostakovitch. Ambos são representantes da diversidade da música de concerto ocidental da primeira metade do século XX. O primeiro, de 1903, de caráter impressionista, foi composto sob forte influência da música de Debussy no começo do século. Já o Quarteto nº 8, de Schostakovitch, é uma obra marcada pelos reflexos da guerra e é dedicada às vítimas do Nazismo. Foi escrita em 1960, na cidade de Dresden (Alemanha) ainda destruída pelo conflito mundial”, conta Fernando Pereira, violinista da Orquestra Petrobras Sinfônica. “Fechamos o programa com ‘Fiesta’, de Helmut Lipsky, compositor contemporâneo germano-suíço residente em Montreal, Canadá”, completa.


No dia seguinte (27/10), o T’Rio apresenta obras de Liduino Pitombeira, Nestor de Hollanda Cavalcanti, Heitor Villa-Lobos, Vittor Santos e Leandro Braga. O repertório é um panorama bastante representativo da música brasileira de concerto e da música popular, além da fusão dos dois estilos, a exemplo de “Fantasia sobre a Muié Rendêra”, de Liduino Pitombeira.


Formado em 2018, ano que lançou seu primeiro álbum, “Trios Brasileiros”, o T’Rio é composto por Fernando Thebaldi, violista e um dos diretores artísticos da Orquestra Petrobras Sinfônica, Cristiano Alves, primeiro clarinetista e também diretor artístico da Orquestra, e pela pianista japonesa Yuka Shimizu.


No sábado (28/10), fechando a programação do mês de outubro no CCBB Rio, o Quarteto Ventura apresenta obras de Heitor Villa-Lobos e Ludwig van Beethoven. Formado pelas violinistas Andréa Moniz e Camila Bastos, pelo violista Carlos Tavares e pela a violoncelista Lylian Moniz, o Quarteto Ventura foi criado no ano passado no intuito de somar no cenário musical camerístico e também formar novas plateias.


“Vamos apresentar duas obras de peso e de grande importância na história da música de câmara. Nelas, podemos vivenciar a diferença entre estilos e a linguagem dos compositores em toda sua genialidade, versatilidade e intimismo”, adianta o violista Carlos Tavares. O ‘Quarteto para cordas nº 4’, de Beethoven, tem a característica escrita no estilo tempestade do compositor. Já o ‘Quarteto para cordas, nº 1’, de Villa-Lobos, traz movimentos curtos e contrastantes que citam o folclore brasileiro, como no sexto movimento intitulado ‘Saltando como um Saci’”, explica o músico.


A parceria entre o Centro Cultural Banco do Brasil e a Orquestra Petrobras Sinfônica para a realização de concertos de câmara começou em agosto. A Série Prata da Casa se estende aos meses de novembro e dezembro. A programação será divulgada em breve.



Serviço

Concertos de Câmara da Orquestra Petrobras Sinfônica

Data: de 26 a 28 de outubro (de quinta a sábado), às 19h

Local: CCBB Rio – Rua Primeiro de Março, 66, Centro – RJ. Tel. (21) 3808-2020

Duração: 60 min. Classificação indicativa: Livre. Entrada franca

Distribuição de ingressos 1 hora antes do início do concerto na bilheteria do CCBB ou pelo site bb.com.br/cultura



26 de outubro (quinta) - 19h

PROGRAMA:

Magisterra String Quartet

Annette Barbara Vogel, violino

Fernando Pereira, violino

Dhyan Toffolo, viola

Hugo Pilger, violoncelo


DMITRI SHOSTAKOVICH

Quarteto para cordas nº 8, op. 110

I. Largo

II. Allegro molto

III. Allegretto

IV. Largo

V. Largo


MAURICE RAVEL

Quarteto para cordas, em Fá maior

I. Allegro moderato

II. Assez vif, très rythmé

III. Très lent

IV. Vif ed agité



HELMUT LIPSKY

Fiesta


27 de outubro (sexta) - 19h

PROGRAMA:

T'Rio

Cristiano Alves, clarineta

Fernando Thebaldi, viola

Yuka Shimizu, piano


LIDUINO PITOMBEIRA

Fantasia sobre a “Muié Rendêra”, op. 1f

Japan, op.47c.


NESTOR DE HOLLANDA CAVALCANTI

O sábio em sol: Trio de 4 para clarineta, viola, piano e narrador (não obrigatório)

I. Allegretto

IV. Allegretto


HEITOR VILLA-LOBOS

Bachianas brasileiras nº 5

I. Aria |Cantilena


VITTOR SANTOS

Fragmen”Tons” Jobim



LEANDRO BRAGA

Visitando Nazareth

Pot-pourri Pixiguinha



28 de outubro (sábado) - 19h

PROGRAMA:

Quarteto Ventura

Andréa Moniz, violino

Camila Bastos, violino

Carlos Tavares, viola

Lylian Moniz, violoncelo


HEITOR VILLA-LOBOS

Quarteto para cordas nº 1, W099

I. Cantilena | Andante

II. Brincadeira | Allegretto Scherzando

III. Canto lírico | Moderato

IV. Canconeta | Andantino quasi Allegretto

V. Melancolia | Lento

VI. Saltando como um Saci | Allegro

LUDWIG VAN BEETHOVEN

Quarteto para cordas, op. 18, nº 4

I. Allegro ma non tanto

II. SCHERZO | Andante scherzoso quasi Allegretto

III. MENUETTO | Allegretto

IV. Allegro

Serviço:

Concertos de Câmara da Orquestra Petrobras Sinfônica

Data: de 26 a 28 de outubro (de quinta a sábado), às 19h

Local: Centro Cultural Banco do Brasil – Rua Primeiro de Março, 66, Centro – RJ. Tel. (21) 3808-2020 | ccbbrio@ccbb.com.br

Duração: 60 min. Classificação indicativa: Livre. Entrada franca

Distribuição de ingressos 1 hora antes do início do concerto na bilheteria do CCBB ou pelo site bb.com.br/cultura



Sobre a Orquestra Petrobras Sinfônica

Aos 48 anos, a Orquestra Petrobras Sinfônica se consolida como uma das mais conceituadas do país e ocupa um lugar de prestígio entre os maiores organismos sinfônicos do continente. Criada pelo maestro Armando Prazeres, a orquestra se firmou como um ente cultural que expressa a pluralidade da música brasileira e transita fluentemente por distintos estilos e linguagens. Tem como diretor artístico e maestro titular Isaac Karabtchevsky, o mais respeitado regente brasileiro e um nome consagrado no panorama internacional.

Site: https://petrobrasinfonica.com.br | Facebook: @PetrobrasSinfonica | Instagram e YouTube: @petrobras_sinfonica

Modelo de gestão

A Orquestra Petrobras Sinfônica possui uma proposta administrativa inovadora, sendo a única orquestra do país gerida por seus próprios músicos.

Sobre a Petrobras

Patrocinadora oficial da Orquestra Petrobras Sinfônica há 36 anos, a Petrobras oferece uma parceria essencial para mantê-la entre os principais organismos sinfônicos do continente, sempre desenvolvendo um importante trabalho de acesso à música clássica, de formação de jovens talentos egressos de projetos sociais diversos, bem como de formação de plateia. Ao incentivar diversos projetos, a Petrobras coloca em prática a crença de que a cultura é uma importante energia que transforma a sociedade. Por meio do Programa Petrobras Cultural, apoia a cultura brasileira como força transformadora e impulsionadora deste desenvolvimento, nas áreas de artes cênicas, música, audiovisual e múltiplas expressões.

Sobre o CCBB RJ

Inaugurado em 12 de outubro de 1989, o CCBB está instalado em um edifício histórico, projetado pelo arquiteto do Império, Francisco Joaquim Bethencourt da Silva. Marco da revitalização do centro histórico do Rio de Janeiro, o Centro Cultural mantém uma programação plural, regular e acessível, nas áreas de artes visuais, artes cênicas, cinema, música e pensamento. Em 34 anos de atuação, foram mais de 2.500 projetos oferecidos aos mais de 50 milhões de visitantes. Desde 2011, o CCBB incluiu o Brasil no ranking anual do jornal britânico The Art Newspaper, projetando o Rio de Janeiro entre as cidades com as mostras de arte mais visitadas do mundo. O prédio dispõe de 3 teatros, 2 salas de cinema, cerca de 2 mil metros quadrados de espaços expositivos, auditórios, salas multiuso e biblioteca com mais de 200 mil exemplares. Os visitantes contam ainda com restaurantes, cafeterias e loja, serviços com descontos exclusivos para clientes Banco do Brasil. O Centro Cultural Banco do Brasil Rio de Janeiro funciona de quarta a segunda, das 9h às 20h, e fecha às terças-feiras. Aos domingos, das 8h às 9h, o prédio e as exposições abrem em horário de atendimento exclusivo para visitação de pessoas com deficiências intelectuais e/ou mentais e seus acompanhantes.


Mais informações em bb.com.br/cultura

Siga o CCBB nas redes sociais:

twitter.com/ccbb_rj | facebook.com/ccbb.rj | instagram.com/ccbbrj



0 visualização0 comentário

Comentários


bottom of page